Legalização da maconha representa desafios à saúde e à segurança no Canadá » Venezuela denuncia bloqueio de importações de bens básicos pelos EUA » Jornalista saudita foi morto na presença de cônsul-geral, diz mídia turca » Shoppings Centers de João Pessoa poderão ser proibidos de cobrar taxa de estacionamento » Astrônomos descobrem planetas anômalos com comportamentos inexplicáveis » SUS vai oferecer novo medicamento contra hepatite C » Dólar cai abaixo de R$ 3,70 com otimismo ampliado após pesquisa Ibope »


Triciclo brasileiro chega ao mercado nos próximos 30 dias

Interior paulista recebe parte do 1º lote do veículo montado em Manaus

Em fase final de homologação, chega ao mercado nacional no próximo mês o primeiro triciclo motorizado para transporte de passageiros fabricado em território nacional. Campinas e Limeira estão entre as cidades que receberão o primeiro lote do veículo inspirado nos triciclos das regiões andinas e muito parecido com o tuk-tuk, modelo tradicional de táxi indiano. O Motocar deve chegar às concessionários do interior paulista por R$ 10,5 mil.

A previsão da montadora é que, dentro de 30 dias, esteja encerrado o trâmite final da homologação do veículo, que depende do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Segundo o diretor da Motocar em São Paulo, Fábio Di Gregorio, o veículo já foi aprovado em todos os testes e, agora, o que separa o Tuk-tuk brasileiro do consumidor são "detalhes burocráticos", segundo ele.

Os 200 primeiros triciclos que serão montados em Manaus já têm destino certo. Estão todos vendidos e serão enviados a concessionárias das seguintes cidades: Campinas (SP), Araras (SP), Limeira (SP), Araraquara (SP), Barretos (SP), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Campo Grande (MS), Rio Verde (GO), Recife (PE), Manaus (AM), Belém (PA), Santarém (PA) e Altamira (PA).

Nestes quatro últimos municípios, da região Norte, triciclos de modelo similar já circulam desde o ano passado, quando a montadora importou os veículos para sondar a aceitação do estilo de veículo no mercado nacional. Perfil

O Motocar leva até três pessoas, tem uma cabine coberta e, por isso, o motorista e os passageiros são dispensados de usar capacete, como nas motocicletas. Do condutor é exigida carteira de habilitação do tipo A, a mesma exigida por motoqueiros. O triciclo brasileiro vai custar no máximo R$ 13,5 mil e o rendimento do veículo é de 25 quilômetros por litro de gasolina e o IPVA seguirá valores também semelhantes das motos.

A potência do triciclo pode ser comparada com a de uma moto de 150 cilindradas, mas a velocidade máxima é 70 Km/h, para compensar o peso do veículo, que também tem um bagageiro com capacidade para até 50 quilos.

Mototáxi

O diretor da Motocar explica que a concepção do modelo veio da América Central e, no Brasil, a proposta é que ele seja uma alternativa para os polêmicos mototáxis. “Mototáxi é um grande dilema no Brasil. Os grandes questionamentos são com relação à segurança e à higiene, já que nas motocicletas o passageiro usa o capacete sem saber quem o utilizou antes dele. O Motocar soluciona todos estes problemas”, disse. O triciclo conta com cinto de segurança e outros itens, como macaco, triângulo e extintor de incêndio.

Em Campinas, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) informou que não existe autorização para este tipo de veículo circular como mototáxi na cidade. Este tipo de transporte é proibido na cidade.

 

Última atualização (Qua, 26 de Setembro de 2012 10:40)

 

Adicionar comentário

É importante salientar que as opiniões expressas não representam a opinião do nosso portal nem de seus organizadores.


Código de segurança
Atualizar

Soluções em Informática!