'HackFest/Virada Legislativa' confirma educador português e diretor executivo do ITS-Rio no evento » Justiça Eleitoral abre habilitação para voto em trânsito » Com crise, bancos têm sobra de R$ 100 bilhões para crédito imobiliário » Novos valores para licitação começam nesta quinta-feira » TJPB agenda para setembro mutirão da Energisa na Comarca de Catolé do Rocha » Corrida Noturna da Advocacia vai arrecadar alimentos para Vila Vicentina » Pedro Cunha Lima é eleito melhor parlamentar »


Morre radialista paraibano Airton José, o Bolinha

Resultado de imagem para Morre radialista paraibano Airton José, o BolinhaO radialista paraibano Airton José da Silva, de 70 anos, faleceu por volta da 1h30 de hoje no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, onde estava internado desde o dia 19 de junho para tratamento de complicações decorrentes da cirrose hepática, doença diagnosticada cerca de um ano e meio atrás. No momento da internação, ele sentia intenso desconforto causado por uma hemorragia no esôfago.

O apresentador do Big Show do Bolinha deixa mulher, filhos, netos e uma bisneta. Natural de João Pessoa trabalhou 52 anos em Rádio. Tinha um dos programas mais antigos ainda no ar, 47 anos comandando o BiG show do Bolinha.

A filha do apresentador, a jornalista Kátia Dumond disse às 7h43 ao ParlamentoPB que o velório será na Central Rosa de Saron, em Jaguaribe, mas o horário ainda não está definido. Ela estava providenciando a liberação do corpo no momento em que falou com a reportagem.

“Meu pai morreu sabendo que era muito querido. Foram muitos telefonemas e muita gente demonstrando carinho e admiração por ele. Acredito muito nessa transmissão de energia boa. Ele sabia o quando era amado e agora, descansou”, disse a jornalista.

Bolinha queria ser enterrado no Cemitério da Penha, mas a família ainda não sabe se esse desejo poderá ser atendido.

Biografia – Airton José faz parte da história da Rádio Tabajara, onde ele está há 38 anos. De família humilde, mas muito batalhadora, ele faz questão de ressaltar que todo esforço é recompensado. A prova disso é que ele aprendeu a ler sozinho, sem ir à escola. “Achava tão bonito as pessoas lendo… Mas não sabia. Então, pegava diariamente os jornais e começava a tentar juntar as letras. Foi dessa forma, instintivamente, que aprendi a ler”, conta o radialista. E foi depois que aprendeu a ler que botou na cabeça que iria realizar outro sonho: o de ser radialista.

Com informações do ClickPB

 

Adicionar comentário

É importante salientar que as opiniões expressas não representam a opinião do nosso portal nem de seus organizadores.


Código de segurança
Atualizar

Soluções em Informática!