Incêndio em fábrica de palitos de fósforo deixa ao menos 30 mortos na Indonésia » Julian Lemos responde críticas de Daniella Ribeiro a ato polêmico de Bolsonaro na Marcha Para Jesus » Bolsonaro diz que quer usar 'pelotão de drones' na linha de frente de operações policiais » Sudema classifica 14 praias como impróprias para banho neste feriadão » Motociclista é atingido por queda de árvore na Avenida João Machado, na Capital » Católicos montam tapetes para celebrações de Corpus Christi em JP » ‘Vocês em breve descobrirão’, diz Trump ao ser questionado se EUA atacarão Irã »


Lula poderá conceder duas entrevistas exclusivas, diz ministro do STF

Resultado de imagem para Lula poderá conceder duas entrevistas exclusivas, diz ministro do STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski divulgou na última  quinta-feira (25), que o ex-presidente da República Luiz Inácio da Silva poderá conceder apenas duas entrevistas exclusivas, na carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba.

As sabatinas serão feitas pelo jornal Folha de S.Paulo e pelo jornalista Florestan Fernandes Júnior, conforme nesta sexta-feira (26), às 10h.

“Esclareço que a decisão da Corte se restringe exclusivamente aos profissionais da imprensa supramencionados, vedada a participação de quaisquer outras pessoas, salvo as equipes técnicas destes, sempre mediante a anuência do custodiado’, disse o ministro.

O presidente do STF, Dias Toffoli, permitiu, na semana passada, que o ex-presidente concedesse entrevistas na prisão.A defesa solicitou a Lewandowski, relator do caso, que as entrevistas fossem reservadas e somente com os jornalistas com os quais o político quisesse conversar.

Escolha dos veículos

A Folha de S.Paulo e Florestan Fernandes Júnior foram os primeiros a fazer o pedido à Justiça, o qual foi negado na primeira instância de Curitiba, e autorizado, após, pelo Supremo.

Prisão

Lula está preso desde abril do ano passado, na carceragem da PF em Curitiba, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP). A pena era de 12 anos e um mês de prisão, mas foi revisada para oito anos e 10 meses pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), nesta terça-feira (23).

 

Adicionar comentário

É importante salientar que as opiniões expressas não representam a opinião do nosso portal nem de seus organizadores.


Código de segurança
Atualizar

Soluções em Informática!