Esqueletos de mãos dadas são encontrados após 700 anos » Semana Nacional do Trânsito é aberta em João Pessoa com foco na proteção ao pedestre » Cheques sem fundo registram queda em agosto, diz Serasa » UFC Japão na madrugada deste sábado com Roy Nelson vs. Mark Hunt » 'The Voice': C. Leitte repete blazer de Rihanna de R$ 4 mil » Telefónica fecha a compra da GVT por US$ 9,29 bilhões » Eike Batista vira tema de piadas na internet por perda de patrimônio »


Bebê morre contaminado pela bactéria KPC em hospital da Unimed

Depois que foi registrado um caso de contaminação pela bactéria Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC), na última semana, uma nova ocorrência veio à tona nesta segunda-feira (13). O vendedor Emanuel Oliveira de Santana revelou que o seu filho de cinco meses morreu em decorrência da contaminação pela superbactéria. O bebê Isaac Magliano Santana estava internado no Hospital da Unimed em João Pessoa. kpc

Ele é o primeiro de caso de morte pela KPC registrado em 2011 na Paraíba.

Isaac morreu no último dia 7 de junho. Ela passou mais de 90 dias internado, sendo que ao dar entrada no hospital, no dia 23 de fevereiro, tinha o diagnóstico de pneumonia. De acordo com Emanuel, em meados de março ele começou a apresentar sintomas de infecção bacteriana. Através de exames foi detectado que ele estava infectado pela Enterobacter e também pela Pseudomonas. Já no dia 27 de abril um novo exame identificou que a criança estava contaminada com a KPC (clique para ver o documento).

Segundo o pai, o bebê chegou a responder bem ao tratamento com antibióticos. Mas, quando estava prestes a ter alta foi transferida da Unidade de Tratamento Intensivo, onde estava internada, para um apartamento normal, o que na ótica dele foi um ato de negligência que complicou o quadro de saúde do menino. Emanuel disse que vai procurar o Conselho Regional de Medicina ainda nesta segunda-feira para pedir que o caso seja apurado.

A reportagem do Paraíba1 entrou em contato com a médica Helena Germógilo, responsável pelo setor de infectologia do Hospital da Unimed, para ter mais informações sobre a morte da criança. Ela não quis falar sobre o assunto e disse que desconhecia a existência do caso.

Já o gerente da Vigilância Sanitária de João Pessoa, Ivanildo Brasileiro, informou, em entrevista ao Jornal da Paraíba que também não tinha conhecimento do caso, mas que iria buscar detalhes para tomar providências. A assessoria de imprensa da secretaria de Saúde municipal informou que ainda vai entrar em contato com a Unimed para ter mais detalhes.

O caso de Isaac é o terceiro de contaminação por KPC registrado em 2011 na Paraíba, porém é a primeira morte. Na semana passada uma mulher, que está internada no Hospital Edson Ramalho, foi identificada com a bactéria. O primeiro caso de 2011 foi registrado em Campina Grande no Hospital Pedro I.

No ano passado foram notificados 34 casos da superbactéria com 25 mortes na Paraíba.

Bactéria

A KPC é um tipo de enzima que tem provocado resistência de algumas bactérias aos antibióticos mais usados. Ela atinge principalmente pessoas hospitalizadas com baixa imunidade, como pacientes de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A bactéria pode ser transmitida por meio do contato direto, como o toque, ou pelo uso de um objeto comum. A lavagem das mãos é uma das formas de impedir a disseminação da bactéria nos hospitais.

 

Do Paraiba 1

Última atualização (Ter, 14 de Junho de 2011 15:40)

 

Adicionar comentário

É importante salientar que as opiniões expressas não representam a opinião do nosso portal nem de seus organizadores.


Código de segurança
Atualizar

Soluções em Informática!