Saiba quais são as 17 estatais que Bolsonaro vai privatizar ainda esse ano » Atirador do Bope mata sequestrador de ônibus na Ponte Rio-Niterói e reféns não são feridos » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano »


Após terremoto, laboratório descarta possibilidade de tsunami no Nordeste do Brasil

Diversas ilhas do Pacífico e países insulares da Ásia são assolados por ondas e inundações oceânicas de grandes proporções, causadas por tremores e terremotos subaquáticos

Resultado de imagem para Após terremoto, laboratório descarta possibilidade de tsunami no Nordeste do Brasil

O terremoto de magnitude 5.8 registrado neste domingo (4), no oceano Atlântico, a cerca de 1.191 km da costa da Paraíba, gerou rumores sobre a possibilidade de um tsunami atingir o nordeste brasileiro.

Diversas ilhas do Pacífico e países insulares da Ásia são assolados por ondas e inundações oceânicas de grandes proporções, causadas por tremores e terremotos subaquáticos.

Contudo, o Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN) confirmou ao portal TNH1 que não há possibilidade de tsunami no Brasil.

De acordo com o técnico Eduardo Menezes, do Labsis, os tremores no oceano são frequentes, quase diários, e não devem gerar preocupações.

"Essa região fica exatamente na borda da placa sulamericana, no Oceano Atlântico, entre o Brasil e a África. Não é que não possa gerar tsunami, mas se fosse mais próximo do continente, haveria maior risco", explicou em entrevista ao TNH1.

Outro motivo por que os tremores nessa região não são perigosos para a costa brasileira é o tipo de movimento feito pelas placas tectônicas. "Os tremores nessa região são transcorrentes; devido ao tipo de falha geológica, as placas deslizam uma em relação a outra. Em outras regiões, por exemplo, no lado do Pacífico, o movimento é subducção, quando uma placa mergulha em relação a outra e isso gera ondas", conclui.

Com informações do TNH1.

 

Adicionar comentário

É importante salientar que as opiniões expressas não representam a opinião do nosso portal nem de seus organizadores.


Código de segurança
Atualizar

Soluções em Informática!