Exército israelense destrói quinto túnel do Hezbollah » Bolsonaro diz que vai jantar com Trump durante viagem aos EUA » Delatora da Lava Jato vira ré sob acusação de falso testemunho em inquérito » Assembleia aprova lei que obriga hospitais a realizarem exames em pacientes com câncer em 30 dias » Em Hong Kong, 10 mil manifestantes vaiam hino chinês durante partida de futebol » Luciano Huck intensifica articulação para ser presidenciável em 2022 » Hezbollah diz que Irã destruiria Arábia Saudita em caso de guerra »


Hezbollah diz que Irã destruiria Arábia Saudita em caso de guerra

O Hezbollah alertou a Arábia Saudita nesta sexta-feira sobre a possibilidade de uma guerra contra o Irã, alegando que isso destruiria o reino, e disse que Riad e os Emirados Árabes Unidos deveriam interromper o conflito no Iêmen para se protegerem.

O líder do grupo islâmico xiita apoiada pelo Irã, Sayyed Hassan Nasrallah, também afirmou que novas defesas aéreas poderiam não proteger a Arábia Saudita do tipo de drones utilizados nos ataques a instalações de petróleo em 14 de setembro.

As tensões na região se agravaram desde os ataques, atribuídos por autoridades sauditas e norte-americanas ao Irã, que nega envolvimento. O grupo houthi do Iêmen reivindicou a autoria dos ataques.

O Hezbollah é um grupo xiita fortemente armado criado pela Guarda Revolucionária do Irã em 1982 e uma parte importante de uma aliança regional apoiada por Teerã.

"Não apostem em uma guerra contra o Irã, porque eles vão destruir vocês", advertiu Nasrallah em um discurso televisionado.

Resultado de imagem para Hezbollah diz que Irã destruiria Arábia Saudita em caso de guerra

Nasrallah disse que os ataques às instalações da Aramco mostraram a força da aliança apoiada pelo Irã e que as novas defesas aéreas poderão não ser eficientes para defender a Arábia Saudita, devido ao seu tamanho e à capacidade de manobra dos drones usados.

Novas defesas aéreas "seriam muito caras e não servirão", afirmou. Seu conselho para a Arábia Saudita e seus aliados nos Emirados Árabes Unidos foi parar a guerra no Iêmen.

Observando as ameaças do movimento houthi contra os Emirados Árabes Unidos, ele acrescentou: "O que protegerá as instalações e a infraestrutura na Arábia Saudita e nos Emirados Árabes Unidos será a interrupção da guerra contra o povo iemenita."

(Reiters)

 

Última atualização (Sáb, 21 de Setembro de 2019 16:06)

 

Adicionar comentário

É importante salientar que as opiniões expressas não representam a opinião do nosso portal nem de seus organizadores.


Código de segurança
Atualizar

Soluções em Informática!