Saiba quais são as 17 estatais que Bolsonaro vai privatizar ainda esse ano » Atirador do Bope mata sequestrador de ônibus na Ponte Rio-Niterói e reféns não são feridos » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano » Brasil proíbe entrada de funcionários do regime venezuelano »


Hoje, antes de tudo, saúdo o Patrono da LBV, São Francisco de Assis, Il Poverello, O Pobrezinho, cujo dia é celebrado nesta data.

O Templo da Boa Vontade (TBV) – uma das Sete Maravilhas de Brasília/DF – deu início, desde sexta-feira, 30/9, a uma programação toda especial. O “Outubro no TBV”, como é conhecido o evento, promove durante o mês inteiro atrações artísticas e culturais com um toque de espiritualidade ecumênica. Em 2011, os peregrinos da Pirâmide de Sete Faces comemoram os 22 anos desse monumento que se inspira no “amai-vos uns aos outros como Eu vos amei”, o Novo Mandamento de Jesus, o Cristo Ecumênico.

Participe você e sua família desse encontro de Almas livres, libertas de preconceito ou tabus. Venha orar conosco. Neste mundo tão atribulado, todos os que lá estiverem poderão desfrutar de inesquecíveis momentos de harmonia e Paz. Terei a honra de comandar a solenidade no sábado, 22/10, a partir das 17 horas.

O TBV fica no SGAS 915, Lotes 75 e 76. A Central de Apoio ao Peregrino poderá ajudá-lo em qualquer informação. Ligue (61) 3114-1070.

ESPAÇO CULTURA

Em sua obra “De Minas para o mundo – Levando Minas no gesto e no coração”, a jornalista Leda Nagle relaciona aos diferentes tipos de mineiros que existem, os “mineiros por adoção, por afinidade”. E é ao lado desses que me incluo. Também amo Minas Gerais. Por sinal, é um estado de espírito neste país. Foi em Belo Horizonte, no Fórum das Mulheres Legionárias, em 1985, que lancei o desafio de erguermos o Templo da Boa Vontade. Em 21 de outubro de 1989, com a ajuda do povo brasileiro, conseguimos inaugurá-lo.

Gentilmente, Leda Nagle me honrou com essa dedicatória: “Para Paiva Netto, com meu abraço carinhoso e minha torcida para que goste das histórias mineiras”. Muito obrigado. Não há quem resista ao que vem de Minas, incluído o famoso queijo.

Em São Paulo, no dia 20 de setembro, o jornalista e apresentador Marcelo Tas lançou “É rindo que se aprende: uma entrevista a Gilberto Dimenstein”. No livro, reúne histórias de sua trajetória profissional e revela como o gosto pelo aprendizado orientou sua vida, mencionando também os personagens que o influenciaram.

Grato ao prezado colega pelo exemplar de sua obra que tenho aqui comigo com essas fraternas palavras: “Para José de Paiva Netto, com carinho. Marcelo Tas”.

José  de Paiva Netto — Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Em nossa constante preocupação em valorizar a vida, sustentamos que, se a mulher tem direito sobre o seu corpo, o feto também tem sobre o dele. No Artigo 2o do Capítulo 1o (Da personalidade e da capacidade) do Título I (Das pessoas naturais) do Código Civil brasileiro, de 2002, encontramos: “A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro”.

    Na década de 1980, proferi um discurso nestes termos: (...) Quem desconhece os Deveres Espirituais não saberá respeitar os Direitos Humanos em sua inteireza, incluídos os das vítimas, que vão além dos patamares atingidos pelos seus mais atilados defensores, na maioria das vezes adstritos à análise dos fatos pelo critério unicamente material, o que não é suficiente. Cidadania, no seu significado lato, não se restringe ao corpo do cidadão, porquanto provém de seu Espírito Eterno. (...)

    Somos pela vida, de mães e filhos. Soluções humanas, sociais e científicas sempre haverá. É, por exemplo, atender às necessidades de instrução e educação, moradia, alimentação, saúde e segurança das populações. 

    Ciência e início da vida

    O relatório oficial de um estudo do Senado norte-americano feito em 1981, do qual participaram os maiores especialistas no assunto, diz exatamente que “médicos, biólogos e outros cientistas concordam que a concepção marca o início da vida de um ser humano — um ser que está vivo e que é membro da nossa espécie. Há uma esmagadora concordância sobre este ponto num sem-número de publicações de ciência médica e biológica”.

    Numa entrevista ao portal de notícias Zenit, em 3 de março de 2006, a professora doutora Alice Teixeira Ferreira, do Departamento de Biofísica da Universidade Federal de São Paulo/Escola Paulista de Medicina (Unifesp/EPM), comenta: “Cientista que diz não saber quando se inicia a vida humana está mentindo. Qualquer texto de embriologia clínica (ou humana) afirma que se inicia na concepção. Em 1827, com o aumento da sensibilidade do microscópio, permitindo visualizar o óvulo e os espermatozoides, Karl Ernst von Baer descreveu a fecundação e o desenvolvimento embrionário. Os médicos europeus, frente tais evidências, passaram a defender o ser humano desde a concepção, contra o aborto. (...) Para não dizer que está ultrapassado, os embriologistas, em 2005, afirmam não só que a origem do ser humano se dá na fecundação como, do ponto de vista molecular, a primeira divisão do zigoto define o nosso destino”.

     
    Combate à exploração sexual

    Sexta-feira, 23/9, foi o Dia Internacional contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Segundo a Agência Brasil, o governo federal realizará “ações específicas de prevenção à exploração sexual de crianças e adolescentes nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 e nas regiões onde serão construídas as hidrelétricas de Jirau (RO) e Belo Monte (PA)”.

    Aguardamos esperançosos o sucesso dessa nova empreitada. Toda iniciativa que visa combater crime tão hediondo tem nosso incondicional apoio e divulgação. 

José  de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com 

  • 0 Comentários

Ao fazer o discurso de abertura da 66a Assembleia-Geral das Nações Unidas, na quarta-feira, 21/9, a presidenta Dilma Rousseff entrou para a história como a primeira mulher a abrir os trabalhos desse importante organismo internacional: “É a voz da democracia e da igualdade se ampliando nesta tribuna. Tenho certeza, senhoras e senhores, de que este será o século das mulheres”.

Boa parte de sua fala abordou a crise econômica planetária, ao alertar para uma grave ruptura social caso não haja, entre países emergentes e desenvolvidos, um novo tipo de cooperação. Classificou tal gesto de “oportunidade histórica para redefinir, de forma solidária e responsável, os compromissos que regem as relações internacionais”.

Além de defender com convicção uma reforma no Conselho de Segurança da ONU, afirmou que “o Brasil está pronto a assumir suas responsabilidades como membro permanente do Conselho”.

Ao dar as boas-vindas ao Sudão do Sul (o mais recente membro das Nações Unidas), lamentou não poder saudar, do mesmo modo, o ingresso pleno da Palestina. “O Brasil já reconhece o Estado palestino como tal, nas fronteiras de 1967, de forma consistente como as resoluções das Nações Unidas. Assim como a maioria dos países nesta Assembleia, acreditamos que é chegado o momento de termos a Palestina aqui representada a pleno título. (...) Venho de um país onde descendentes de árabes e judeus são compatriotas e convivem em harmonia, como deve ser.”

Nossos parabéns à presidenta Dilma pelo discurso firme e coeso. Orgulha-nos ver nosso país galgando, cada vez mais, posição de destaque no cenário mundial. A propósito, numa mensagem que encaminhei às Nações Unidas, em 2007, reforço, o que defendo há tempos, a participação cada vez mais atuante da mulher no conserto (com “s” mesmo) das nações”. Para ler na íntegra essa página, acesse www.paivanetto.com.

DIA DO GAÚCHO

Minha saudação ao fraterno povo gaúcho, que na terça-feira, 20/9, comemorou 176 anos da Revolução Farroupilha. Também conhecida como Guerra dos Farrapos, defendeu os princípios republicanos, divergindo, na época, do regime imperialista brasileiro. Estendeu-se de 20 de março de 1835 a 1o março de 1845.

DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO

Desde 2000, o último domingo de setembro era dedicado, pela Organização Mundial da Saúde, ao Dia Mundial do Coração. A partir deste ano, foi estabelecida a data de 29/9.

Segundo o Ministério da Saúde, ocorrem por ano no Brasil cerca de 70 mil mortes causadas por infarto. Outros estudos relevantes assinalam que as doenças cardiovasculares são a primeira causa de mortalidade no mundo.

No mês de abril do corrente, o Ministério da Saúde divulgou dados, segundo os quais, nos últimos cinco anos, a proporção de brasileiros com hipertensão arterial passou de 21,6%, em 2006, para 23,3%, em 2010. Contudo, houve um recuo de 1,1 ponto percentual, se comparado a 2009, em que se atingiu a proporção de 24,4%. Esses dados constam da pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). Em 2010, foram entrevistados 54.339 adultos nas 26 capitais e no Distrito Federal.

A faixa etária que apresenta maior índice de hipertensos continua sendo a de 55 anos ou mais, com diagnósticos acima de 50%. A população de 18 a 24 anos já representa 8%.

A cidade de Porto Alegre apresenta um dos maiores índices de frequência de hipertensão entre as mulheres (29,5%), perdendo apenas para o Rio de Janeiro, com 33,9%.

Todos nós sabemos que os grandes vilões do coração são, entre outros fatores, o sedentarismo, a obesidade, o estresse e o tabagismo. Por isso, é fundamental praticar atividade física regularmente, sempre com a orientação de um profissional; ter uma dieta saudável; abandonar o vício do cigarro e da bebida; e controlar os níveis de colesterol e triglicérides no sangue.

É igualmente importante ressaltar também a busca pelo equilíbrio espiritual como forte aliado na diminuição do estresse. Por meio de leitura que conforte e esclareça, de preces, meditações podemos melhorar, e muito, nossa qualidade de vida.

José  de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Durante a maior festa literária da América Latina, a 15ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, encerrada no domingo, 11/9, a Super Rede Boa Vontade de Comunicação entrevistou, entre outros, o jornalista José Roberto Burnier. Na ocasião, ele autografava o seu livro “Os últimos passos de um vencedor — Entre a vida e a morte, o José Alencar que conheci”, em que conta os últimos cinco anos de vida do ex-vice-presidente do Brasil José Alencar. A designação de Burnier para cobrir o processo de tratamento da doença de Alencar levou a uma aproximação entre ambos e a informações exclusivas.

Ao falar sobre a elaboração da obra, o autor assim se expressou: “Esse foi um exercício inédito que tive que fazer em minha vida. A gente vê muita coisa e acaba se comovendo com o drama das pessoas. Mas sempre temos que separar, afinal de contas, não se pode envolver emocionalmente. No caso, foi uma coisa diferente para mim, uma amizade construída aos poucos, e absolutamente de forma espontânea. Alencar confiava em mim; eu estava sempre perto dele”.

A respeito do político mineiro, ainda comentou: “Ele tratava muito bem a todos. Era muito simples, humilde. Apesar de ter construído um dos maiores impérios têxteis do mundo, sempre foi uma pessoa de um caráter irreparável, educado, cativante. O hospital inteiro ficou de joelhos quando morreu; foi impressionante. Uma cena que nunca tinha visto. Ele era muito querido por todos. (...).

“Vocês [da LBV] têm uma experiência longa de solidariedade. O exemplo do que mais a gente precisa hoje na sociedade é o da solidariedade. E vocês vão entrar em contato com uma pessoa que realmente toca o nosso coração”.

Grato ao jornalista Burnier pelas palavras que me endereçou num exemplar do seu trabalho: “Caro Paiva Netto, a solidariedade está no seu sangue. E no sangue de Alencar sempre esteve a coragem de encarar a morte de frente e privilegiar a vida. Um abraço, Burnier”.

REGISTRO

Dos Estados Unidos, o registro fotográfico da presença da LBV na 27ª edição do Brazilian Day in New York, neste mês, na famosa Rua 46. O evento foi prestigiado por 1,5 milhão de pessoas.

PAZ E 11 DE SETEMBRO

Encerro a coluna de hoje sob o influxo de uma oração ao Pai Celestial. É a nossa fraterna homenagem às vítimas do terrível ataque terrorista que se abateu sobre os Estados Unidos há 10 anos. Que a vibração da Paz de Deus nos envolva a todos agora e sempre!

José  de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.co

  • 0 Comentários

Dez de setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Tendo este ano como lema “Prevenindo o suicídio em sociedades multiculturais”, a International Association for Suicide Prevention (IASP) nos traz séria convocação:

“O Dia Mundial de Prevenção do Suicídio representa uma oportunidade para todos os setores da sociedade — público, organizações de caridade, comunidades, pesquisadores, profissionais da saúde, políticos e legisladores, voluntários, aqueles que tenham sofrido a perda de alguém querido, outras organizações e pessoas interessadas — para que se juntem à IASP e à Organização Mundial da Saúde (OMS) em um chamado da atenção pública sobre a carga emocional inaceitável e o custo do comportamento suicida, por meio de atividades que promovam a compreensão do suicídio e ressaltem as muitas estratégias de prevenção que têm sido efetivas ao redor do mundo”.

Em 7 de setembro comemoramos o Dia da Pátria, ocasião também para nos inspirar o aumento de ações sociais e de amparo espiritual que impeçam o suicídio em nosso país. Assim, estaremos no caminho da integral independência, a do Espírito, aquela que vai muito além da soberania política, que o Brasil alcançou em 1822.

 

AUTORES ILUSTRES

O Portal Boa Vontade registrou o lançamento de importantes obras literárias. Com grande honra para mim, recebi dos autores fraternas dedicatórias.

“Conversas com jovens diplomatas” é o título lançado pelo ministro da Defesa, Celso Amorim. Trata-se de um retrato inédito do relacionamento do Brasil com o mundo, abordando os principais fatos da diplomacia brasileira no período em que ele foi ministro das Relações Exteriores no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Durante concorrida noite de autógrafos, em Brasília, ele me escreveu: “Ao amigo Paiva Netto, com o abraço forte, Celso Amorim. 23.08.2011”.

O Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO) e o Instituto Fernando Henrique Cardoso (iFHC) trouxeram a público, no Museu de Arte Moderna (MAM), em São Paulo/SP, o livro “Cultura das transgressões no Brasil — Cenários do amanhã”.

A obra, coordenada pelo ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso e pelo ex-embaixador Roberto Abdenur, presidente do ETCO, contém textos de Aristides Junqueira, Gilmar Mendes, Marcílio Marques Moreira, Paul Singer e Renato Janine Ribeiro. O objetivo é contribuir para a reflexão sobre o que é possível fazer para deixar o passado de transgressões e caminhar para um futuro mais justo e desenvolvido.

Num dos exemplares, o ex-presidente do Brasil dedicou: “Ao José de Paiva Netto, com toda consideração. Um abraço do Fernando”.

Da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, em sua 15ª edição, que vai até domingo, 11/9, no Riocentro, chegou-me às mãos “Se eu fechar os olhos agora”, primeiro romance do jornalista e escritor Edney Silvestre. Gentilmente assim se expressou: “Para o Guerreiro Paiva Netto, com o melhor do abraço do Edney Silvestre”. O título, que em 2010 venceu o Prêmio Jabuti em sua categoria, faz parte agora da biblioteca iniciada pelo meu saudoso pai, Bruno Simões de Paiva (1911-2000), no dia do meu nascimento.

A todos, gratíssimo.

José  de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Foi num 7 de Setembro, ano de 1959, que o jornalista e radialista Alziro Zarur (1914-1979) fez, em Campinas/SP, no Hipódromo do Bonfim, a Proclamação do Novo Mandamento de Jesus.

O dia escolhido por ele não poderia ser mais apropriado. Quando se comemora a independência política de nosso país, necessário se torna, firmado no espiritualmente revolucionário Mandamento Novo do Cristo Ecumênico, o Sublime Estadista, convidar a população também a refletir sobre os preceitos apresentados por Jesus, estrutura pela qual podemos construir um mundo novo. Por quê?! Porque o governo da Terra começa no Céu. Não parece, mas é.

Tratado Divino

Toda nossa labuta nas Instituições da Boa Vontade, por um Brasil melhor e por uma Humanidade mais feliz, fundamenta-se neste Tratado do Novo Mandamento de Jesus, consoante o Seu Evangelho segundo João, 13:34 e 35; 15:12 a 17 e 9: “Novo Mandamento vos dou: Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes o mesmo Amor uns pelos outros. (...) O meu Mandamento é este: que vos ameis como Eu vos tenho amado. Não há maior Amor do que doar a própria Vida pelos seus amigos. E vós sereis meus amigos se fizerdes o que Eu vos mando. E Eu vos mando isto: amai-vos como Eu vos amei. Já não mais vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor. Mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto aprendi com meu Pai vos tenho dado a conhecer. Não fostes vós que me escolhestes; pelo contrário, fui Eu que vos escolhi e vos designei para que vades e deis bons frutos, de modo que o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vos conceda. E isto Eu vos mando: que vos ameis como Eu vos tenho amado. Porquanto, da mesma forma como o Pai me ama, Eu também vos amo. Permanecei no meu Amor”.

Súplica especial

Ó Jesus, cuja misericórdia nos sustenta! É um conforto para os Teus servidores fiéis saber que Tu nos escolheste. Então, urge corresponder à Tua escolha. E ela tem sido para que sigamos pelo mundo e realizemos bons frutos, “de modo que o nosso fruto permaneça”. Que revelação importante! Enaltecedora para os fiéis, os que se conservarem desse modo – “a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome (Jesus), Ele vos conceda”. Está aqui o segredo do nosso trabalho, da nossa perseverança, para que mereçamos estas palavras do Educador Celeste.

Tu disseste: “Porquanto, da mesma forma como o Pai me ama, Eu também vos amo” – e em seguida Tu fazes um pedido. Imaginemos nós o Supremo Governante da Terra descendo até a nossa qualidade de espírito, tão inferior à Dele, e rogando pelo nosso próprio bem-estar físico e espiritual: “Permanecei no meu Amor!”.

Prece do Pai-Nosso

Agora, vamos orar a Prece Ecumênica de Jesus, a Oração do Senhor deste planeta, que se encontra no Seu Evangelho segundo Mateus, 6:9 a 13.

Minhas irmãs e meus irmãos, minhas amigas e meus amigos, todos podem rezar o Pai-Nosso. Ele não se encontra adstrito a crença alguma, por ser uma oração universal, consoante o abrangente Espírito do Cristo Ecumênico. Qualquer pessoa, até mesmo ateia (por que não?!), pode proferir suas palavras sem sentir-se constrangida. Não somos todos herdeiros de Deus? E nessa prece é o filho que se dirige ao Pai, ao crer na existência misericordiosa Dele, ou é o ser humano a dialogar com a sua elevada condição, quando disso se apercebe, de criatura vivente. Trata-se da Prece Ecumênica por excelência:

“Pai Nosso, que estais no Céu (e em toda parte ao mesmo tempo), santificado seja o Vosso Nome. Venha a nós o Vosso Reino (de Justiça e de Verdade). Seja feita a Vossa Vontade (e humildemente dizemos: jamais a nossa vontade, visto que ainda estamos aprendendo a tê-la em plenitude) assim na Terra como no Céu. O pão nosso de cada dia dai-nos hoje (o pão transubstancial, a comida que não perece, o alimento para o Espírito; porque o pão para o corpo, iremos consegui-lo com o suor do nosso rosto). Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoarmos aos nossos ofensores. Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal, porque Vosso é o Reino, e o Poder, e a Glória para sempre. Amém”.

José  de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

No Brasil, as atenções estão voltadas para os reflexos da presente crise mundial. Contra ou a favor, políticos, economistas, empresários, analistas opinam sobre medidas que freiem ou impulsionem o consumo, ou lá o que seja, evitando desse modo, conforme pensem, maiores transtornos sociais ao país.

Apesar de toda a inquietação, saibamos utilizar este momento para atingir o equilíbrio, sem o qual mais dificilmente alcançaremos o triunfo. O que é a crise senão ensejo disfarçado de infortúnio? Obstáculos são prêmios de Deus à nossa inteligência, estímulo para quem não abdica das realizações que lhe vêm justificando a existência, dando sabor à vida. É quando melhor se pode exercer o talento. Todo revés traz em si próprio a solução, ensina a vetusta e experiente cultura oriental. Lamentar nada constrói. Temos de combater o desânimo, sem iludir a multidão. Se desolados, homens e nações quedam-se indefesos ou levantam-se em revolta.


    Sabedoria de Confúcio

É preciso sonhar, concorrer por um mundo mais digno. Pari passu, ter os pés no chão, isto é, certeza de que mudanças desejadas não chegam sem esforço real. Meditemos sobre esta pérola da sabedoria de Confúcio: “Se determinarmos com bastante antecedência a nossa norma de conduta na vida, em nenhum momento seremos assaltados pela aflição. Se sabemos, previamente, quais são os nossos deveres, será fácil darmos-lhes desempenho”. Planejamento puro.

Por sinal, a filosofia do respeitado mestre chinês é considerada um dos fundamentos do notável impulso que fez surgir os “tigres asiáticos”, também hoje abalados pela tensão globalizante. Nos encontros entre expressivas economias do planeta — naturalmente movidas pelo instinto de sobrevivência — na busca de mecanismos salutares para o enfrentamento da crise, é essencial, contudo, que a razão seja permeada pelo espírito solidário (coisa ainda rara nesses relacionamentos internacionais), pois o coração torna-se mais propenso a ouvir sempre que a fraternidade é de fato o alicerce do diálogo. Elas, um dia, compreenderão que, sem amor ou qualquer outro nome que em “tecnês” queiram dar-lhe, haverão de deparar-se com as grandes tribulações anunciadas por Jesus no Seu Evangelho, segundo Mateus, capítulo 24, integral. Ademais, a vida é uma constante prestação de contas ao tribunal da consciência, do qual ninguém escapa, mesmo que jamais o revele.

Disposição

Disposição inquebrantável é resposta apropriada a qualquer crise. (...) Não nos esqueçamos de que — quando permanecemos com Deus — até a desventura se mostra o instante mais propício para criar.

Há  quem passe anos esperando o pior. Só isso é motivo para a pessoa cair doente. Por que não almejar o melhor e trabalhar por ele? Thomas Jefferson (1743-1826) alerta-nos para esta gritante realidade: “Quanto nos custaram os males que nunca aconteceram!”. E ainda há aquele ditado russo que aconselha: “Creia em Deus, mas continue nadando para a praia”.

Meu pensamento solidário a todos que, povo e governo, enfrentam dificuldades, não baixam a bandeira e dignificam suas famílias e a pátria, dessa forma sobrevivendo bem mais operosos e fortes. Nosso país tem procurado defender-se da procela que ora agita outros povos. O bom combate nos permite a valiosa chance de progredir.

Jesus, porém, não entra em crise. Supliquemos, pois, a Sua proteção.

José  de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Conforme informei neste espaço, a Liga da Defesa Nacional (LDN-RS), entidade que organiza a Semana da Pátria, e o governo do Rio Grande do Sul homenageiam este ano, no tema estadual, a Legião da Boa Vontade e, no nacional, o padre e inventor brasileiro Landell de Moura (1861-1928).

Alunos da rede municipal e estadual de ensino e diversas instituições gaúchas pesquisarão sobre a história e os programas socioeducacionais da LBV, que, no decorrer de 61 anos, prima pelo civismo e pelo desenvolvimento da cidadania ecumênica. Aliás, no mês de setembro, a LBV participará, como faz todos os anos em várias regiões do país, dos desfiles cívicos estudantis e militares, levando às ruas sua mensagem de Paz e, à frente do pelotão legionário, a majestosa estampa de Jesus, o Cristo Ecumênico.

Programação

Os eventos da Semana da Pátria começaram no domingo, 14/8, em Glorinha/RS, com a 74a edição da Corrida do Fogo Simbólico da Pátria. No mesmo dia, à tarde, a chama foi recebida em Porto Alegre, na Usina do Gasômetro. Na ocasião, o prefeito José Fortunati assim se pronunciou: “Sabemos que a Chama do Fogo Simbólico da Pátria sempre significou o conhecimento, o saber, a esperança de nova vida. E é isso que queremos, que a Chama Simbólica de 2011, em Porto Alegre, signifique conhecimento, saber, tolerância e uma sociedade nascida da Espiritualidade, da Solidariedade, cada vez mais humana, enfim, na qual as pessoas possam conviver em melhores condições”.

A respeito da homenagem à LBV, Fortunati comentou: “Mais do que justa. A LBV tem, ao longo de sua história, construído, especialmente, um trabalho social da maior importância, que tem se enraizado no país, que alcança crianças e adolescentes em situação de risco social. Tem feito um trabalho espiritual para todas as idades, e acho que esse reconhecimento vem exatamente ao encontro da expectativa de todos. Que a gente possa, através de instituições sérias, como no caso da LBV, realmente consolidar um país mais justo e mais solidário”.

Em 27 de agosto, sábado, o Coral Ecumênico Infantil Boa Vontade abrirá o Dia Cívico na Escola Municipal Passarinho Dourado, onde estarão representadas outras instituições e escolas de Porto Alegre.

No dia primeiro de setembro, quinta-feira, o governador Tarso Genro fará a abertura oficial da Semana da Pátria em todo o Estado. Na capital gaúcha, pela manhã, no Monumento ao Expedicionário, e no período da tarde no Memorial do Rio Grande do Sul, um representante da LBV também se pronunciará. Uma mostra sobre os homenageados, com o título “Nós Brasileiros”, organizada pelas Secretarias de Educação do Estado e do Município e diversas entidades, será aberta, nesse dia, pelo governador. A exposição irá até 11 de setembro.

Em Santo Ângelo, o desfile cívico estudantil ocorrerá no domingo, 4/9, e a parada militar, na quarta-feira, 7/9. Ambos, na Av. Marechal Floriano.

A Semana da Pátria se encerrará na quarta-feira, 7/9, com o Desfile da Independência, na Av. Loureiro da Silva. Nesse dia, além de desfilar, jovens da LBV farão a Guarda do Fogo Simbólico da Pátria no Monumento ao Expedicionário, no Parque da Redenção, na capital do Estado.

Minha saudação aos que se esmeram para o sucesso desses eventos. E meus agradecimentos à Liga da Defesa Nacional e ao governo gaúcho pelo expressivo gesto de apreço e reconhecimento ao trabalho da LBV.

Força armada e civil, tudo é Brasil!


    Professor Niskier

Agradeço ao ilustre educador Arnaldo Niskier as publicações que gentilmente me encaminhou. Entre elas, o “Jornal de Letras”, do qual é diretor responsável, e a “Revista do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE/Rio)”. Trabalhos que primam pela excelência na Educação e na Cultura.

Por sinal, o professor Niskier, que é também presidente do Conselho de Administração do CIEE/Rio e membro da Academia Brasileira de Letras, foi agraciado recentemente com o Prêmio Personalidade Cidadania 2011, uma iniciativa da “Folha Dirigida”, do Centro de Informação das Nações Unidas e da Associação Brasileira de Imprensa.

Ao nosso caro amigo, os parabéns da LBV.


José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

O Centro Educacional Alziro Zarur, da LBV em Taguatinga/DF, que atende centenas de crianças entre 2 e 8 anos, já conta, desde o dia 8 de agosto corrente, com uma biblioteca para apoio aos pequeninos, suas famílias e à comunidade.

O Portal Boa Vontade noticiou que o espaço é fruto de parceria da LBV com o projeto Bibliotecas Casa do Saber, da rede de postos Gasol de Combustíveis, e a livraria Casa do Saber. No local, além de obras de referência, como enciclopédias e dicionários, encontram-se à disposição literatura infantojuvenil, brasileira e estrangeira, material didático para consulta e uma infinidade de títulos diversos. É um incentivo à busca do conhecimento por meio da leitura.

Compareceram à solenidade de inauguração a coordenadora-geral do projeto Casa do Saber, Carmen Gramacho; a bibliotecária Iza Antunes, presidente da Associação dos Bibliotecários do Distrito Federal; e o diretor operacional da rede de postos Gasol, Antonio Matias, além dos atendidos pela LBV e seus pais.

Lucia Yoshiko Fujii, mãe de Hideo, de 4 anos, demonstra-nos como são bem-vindos ambientes de cultura e aprendizado como esse: “Essa biblioteca é muito importante, fundamental para a vida dos nossos filhos. Os meus, por exemplo, gostam muito de ler”.

Assim, vamos contribuindo para a formação integral de nossos educandos, oferecendo-lhes meios de alimentar o cérebro e o coração, sempre sob o luzeiro de uma alta consciência ética, moral e espiritual.

A LBV em Taguatinga está situada na Colônia Agrícola Samambaia, Chácara 40, Lotes 1 e 2. Para outras informações, ligue: (61) 3561-3788.

PROFESSOR NISKIER

Agradeço ao ilustre educador Arnaldo Niskier as publicações que gentilmente me encaminhou. Entre elas, o “Jornal de Letras”, do qual é diretor responsável, e a “Revista do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE/Rio)”. Trabalhos que primam pela excelência na Educação e na Cultura.

Por sinal, o professor Niskier, que é também presidente do Conselho de Administração do CIEE/Rio e membro da Academia Brasileira de Letras, foi agraciado recentemente com o Prêmio Personalidade Cidadania 2011, uma iniciativa da “Folha Dirigida”, do Centro de Informação das Nações Unidas e da Associação Brasileira de Imprensa.

Ao nosso caro amigo, os parabéns da LBV.

CORRESPONDÊNCIA

É gratificante a interação com os leitores que aqui me têm acompanhado. Meu objetivo é modestamente destacar o benefício que nos traz a vivência da Espiritualidade Ecumênica no cotidiano. Por meio da melhoria de nossos sentimentos e consequentemente de nossas atitudes, construiremos “um Brasil melhor e uma Humanidade mais feliz”.

De Jacupiranga/SP, Rafaele de Souza Pereira, ao ler o artigo “Vá sem pressa, faça uma prece!”, escreveu-me: “Boa tarde a todo o público. Parabenizo a campanha pela paz no trânsito, pois ‘a pressa é inimiga da perfeição’. Portanto, ‘Vá sem pressa e faça uma prece!’. Muito bonito o tema da campanha. Parabéns a todos os que a promovem e a respeitam!”.

Rafaele Pereira, grato por suas palavras.

Recebi de Victória Tigre Maia comovente e-mail: “Senhor Paiva Netto, sensibilizada e emocionada, li seu artigo e poesia de meu avô Bastos Tigre. É muito bom e confortante saber que 50 anos depois de seu falecimento ele está sendo lembrado! Cordiais saudações”.

Realmente, Bastos Tigre foi uma glória da nossa intelectualidade.

José  de Paiva Netto — Jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

No último dia primeiro, completaram-se 54 anos do retorno do jornalista pernambucano Manuel Bastos Tigre (1882-1957) ao Mundo Espiritual. Um brasileiro de muitos talentos, além de outras funções, destacou-se como bibliotecário, poeta, compositor, humorista e publicitário.

Em homenagem a ele, pois os mortos não morrem, trago-lhes um dos seus poemas de que mais gosto. Está publicado na “Antologia da Boa Vontade” (1955). É um incentivo aos que sabem perseverar na construção de um mundo melhor, incluídos os dedicados Pais, na Terra e no Céu da Terra, que no próximo domingo receberão o carinho e o reconhecimento dos amados filhos.

A VITÓRIA DA VIDA

“Pobre de ti se pensas ser vencido!/ Tua derrota é caso decidido./ Queres vencer, mas como em ti não crês,/ Tua descrença esmaga-te de vez./ Se imaginas perder, perdido estás./ Quem não confia em si, marcha pra trás;/ A força que te impele para a frente/ É a decisão firmada em tua mente.

“Muita empresa esboroa-se em fracasso/ Inda muito antes do primeiro passo;/ Muito covarde tem capitulado/ Antes de haver a luta começado;/ Pensa em grande, e os teus feitos crescerão;/ Pensa em pequeno, e irás depressa ao chão./ O querer é o poder arquipotente./ É a decisão firmada em tua mente.

“Fraco é aquele que fraco se imagina;/ Olha ao alto o que ao alto se destina;/ A confiança em si mesmo é a trajetória/ Que leva aos altos cimos da Vitória./ Nem sempre o que mais corre a meta alcança,/ Nem mais longe o mais forte o disco lança,/ Mas o que, certo em si, vai firme e em frente,/ Com a decisão firmada em sua mente”.

Usemos essa determinação em prol de uma causa digna e justa. A questão é querer fazer; fazer, mas fazer certo.

FOME E ARMAGEDOM

O Portal das Nações Unidas no Brasil criou um site especial (www.onu.org.br/chifredaafrica/), totalmente em português, com o objetivo de chamar a atenção para a pior crise humanitária em décadas na região conhecida como Chifre da África (Somália, Etiópia, Eritreia, Djibuti e Quênia). Segundo a ONU, mais de 12 milhões de pessoas enfrentam grave escassez de alimentos, provocada pela pior seca dos últimos 60 anos. O problema ainda é agravado por conflitos entre o governo somali e forças rebeldes.

Destaca o site que, “no sul da Somália, há 2,8 milhões de desnutridos, dos quais 1,25 milhão são crianças. Em áreas agropastoris, até 20 a cada 10 mil crianças de até 5 anos morrem diariamente e o índice de desnutrição infantil aguda chega a 50%. Dezenas de milhares de pessoas morreram e mais vidas estão em risco. Quase metade da população — 3,7 milhões de pessoas — precisa de assistência humanitária”.

Em 28/7, o Ministério das Relações Exteriores comunicou que o Brasil enviará 53 mil toneladas de alimentos para os locais atingidos pela estiagem. A doação deve seguir nos primeiros dias de setembro, em dois grandes navios graneleiros. A Agência Brasil divulgou que “a Somália receberá 38 mil toneladas, enquanto 15 mil toneladas serão encaminhadas a campos de refugiados na Etiópia. De acordo com o coordenador-geral de Ações Internacionais de Combate à Fome do Itamaraty, Milton Rondó Filho, inicialmente, os países receberão apenas feijão e milho. O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) vai intermediar a doação”.

Eis um drama que demonstra a urgente necessidade de revestirmo-nos, cada vez mais, do espírito solidário, caritativo, tendo como princípios básicos de convivência o respeito e o cuidado para com a sagrada pessoa humana, independentemente da cor da pele, da nacionalidade, do idioma ou do que mais o seja. Não levantemos diques que obstruam o rumo natural dos povos à confraternização. O planeta Terra continua sendo a mesma morada para todos. O Armagedom da fome está logo ali para muita gente.

José  de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

O duplo atentado ocorrido em 22 de julho, na Noruega, que vitimou 77 pessoas, merece da sociedade toda a atenção. Segundo o noticiário, a xenofobia está  na motivação dos ataques. É realmente lamentável! Já  era para termos aprendido a lição. Excluir criaturas humanas não combina com humanidade.

Em minha página “A miscigenação do mundo é inevitável”, publicada em “Crônicas e Entrevistas” (Editora Elevação, 2000), defendo a tese de que o nosso destino é mesmo a mestiçagem, o multiculturalismo, tornando-se portanto sem propósito qualquer tipo de discriminação. Naquela oportunidade, fim do século 20, assim escrevi:

(...) Vai ficar difícil abrir mão da Humanidade, como parece que alguns radicalmente pretendiam fazer com a nova globalização: mais produtos e menos trabalhadores produzindo e transitando pelo planeta. Marcante exemplo é o da União Europeia, com seus arroubos de xenofobia, menos para turistas… Ela está constatando a contingência de ter de “importar” gente, ainda que, em alguns casos, por curtos períodos, para realizar serviços de que os seus nativos dolicocéfalos não mais querem saber e para suprir as necessidades de uma população que está envelhecendo. Alguns vivem arrepiados com os “perigos” da fusão étnica; contudo, empresários e políticos sentem como fatalidade histórica a presença dos “estrangeiros” mesmo que sejam de gerações nascidas por lá, principalmente os de cor de pele distinta. Não há como indefinidamente impedir que revoluções sociais e humanas dessa envergadura, em diversas grandezas, se cumpram. Na atualidade, de certa forma vemos repetir-se, em direção inversa, mas talvez de maneira mais dolorosa, o fenômeno da imigração. Antes a onda era emigrar da Europa e da Ásia para a América. Resumindo: italianos, japoneses, alemães, poloneses, russos, judeus, árabes, ibéricos, para a do Norte e a do Sul, somando-se irlandeses e chineses para a Setentrional. E não chegaram por aqui e lá, na imensa maioria, como senhores, porém, como servidores braçais, à exceção de gente como Einstein e Fermi. Pelo sacrifício e suado labor, subiram ao topo e se estabeleceram. Recordo-me de uma afirmação do filósofo do Positivismo Augusto Comte (1798-1857), cujo pensamento tanta influência exerceu sobre os fundadores da República brasileira, a começar por Benjamin Constant (1836-1891): “O homem se agita, e a Humanidade o conduz”. Alziro Zarur (1914-1979) perguntava então: “E quem conduz a Humanidade?”. E ele próprio exclamava: “Deus!”.

E assim eu terminava aquele artigo de 2000.

Hoje, em 2011, o Brasil volta a atrair o interesse de imigrantes, pois estamos precisando de valores especializados para as novas exigências do desenvolvimento do país, enquanto preparamos, com atraso, nossa própria gente.

José  de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Comemoramos em 25/7 o Dia do Motorista. Aproveitemos o ensejo para refletir sobre recente relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) que aponta para uma triste realidade: anualmente, jovens com menos de 25 anos totalizam quase 400 mil mortes por desastres de trânsito. Sem contar milhões deles que se ferem gravemente ou ficam incapacitados.

Dados do Ministério da Saúde indicam que 145,9 mil pessoas, vítimas do tráfego, foram internadas no ano passado e tiveram tratamento coberto pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Um custo de cerca de R$ 187 milhões.

Junto-me sempre aos que têm chamado a atenção para o cuidado ao dirigir nas cidades e nas estradas. Goethe (1749-1832), famoso vate e escritor alemão, definiu: “A morte é, de certa forma, uma impossibilidade que, de repente, se torna realidade”. Realmente, a maioria dos Seres Humanos não pensa que um dia “passará desta para melhor ou para pior”, de acordo com o seu comportamento na Terra.

O grande equívoco da Humanidade é viver como se depois da morte nada houvesse. Conforme nos revelam os Mentores Espirituais, um dos maiores dramas na Pátria da Verdade é a chegada de multidões livres das algemas da carne, mas completamente ignorantes do que seja o Mundo Invisível. (...)

Não adianta apenas dispor leis para os indivíduos. É preciso prepará-los para a lei. O Código de Trânsito Brasileiro está em vigor. Todos sabem que é proibido beber quando dirigir e que devem utilizar o cinto de segurança, respeitar a velocidade, sinais e faixas. No entanto, por que muitos não cumprem essas normas? Talvez porque não valorizem a própria existência.

A Campanha “Vá sem pressa, faça uma prece!”, promovida pela Legião da Boa Vontade, visa à conscientização de motoristas e pedestres, para que venham a acatar o código de trânsito por Amor à própria vida e à dos outros.

Fica aqui, portanto, um pouco da nossa contribuição para o fim da violência nesse campo, de modo que a velocidade irresponsável que ainda persiste nas ruas seja substituída por atos cada vez mais velozes de socorro às pessoas em situação de pobreza e de respeito a todos. Eis o nosso lema: “Educação e Cultura, Alimentação, Segurança, Saúde e Trabalho com Espiritualidade Ecumênica” também no trânsito. (...) Para alguns pode parecer sonho, mas tem dado resultados, pois ensina a criatura a reeducar-se.

A conscientização é o primeiro passo para o fim da “guerra” nas vias brasileiras. Para isso, é muito importante, acima de tudo, que a Boa Vontade esteja presente entre motoristas e pedestres.

Vivamos, todos nós, em paz também no trânsito!

José  de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.co

  • 0 Comentários

Prossigo hoje com o meu editorial da “Boa Vontade Educação”. A revista, especialmente publicada para a Reunião de Alto Nível do Conselho Econômico e Social (Ecosoc) da ONU, ocorrida em Genebra/Suíça, na primeira semana do corrente, obteve expressiva aceitação.

AFETO E RESPEITO

Reclama-se bastante da violência nas escolas, mas se o estudante vai para lá aprender a expandir o próprio raciocínio com o intuito de absorver as lições necessárias à sua formação técnica, paralelamente, sem nunca esquecer o espírito de disciplina, o cuidar melhor possível do sentimento deve ser levado na devida consideração.

O afeto para as crianças e o respeito aos jovens são semelhantes a uma máquina funcionando: em uma parte das rodas dentadas, a mente, a lógica; em outra, a Alma, o sentir, que nos impede de nos tornar cada vez mais selvagens! Ora, os dentes da roda vão se encontrando e fazendo o mecanismo girar. Contudo, se você não põe nessa engrenagem o óleo da Fraternidade, da Solidariedade, da Misericórdia, da Compaixão, tudo grimpa, trava, cria ferrugem e entra em falência!

FUNÇÃO PRECÍPUA

Vocês já  viram algum instrumento funcionar bem se não estiver devidamente lubrificado? O que é a Humanidade? É como extraordinário engenho que precisa ser tratado com o óleo do sentimento que vem de Deus, quando entendido como Amor, portanto, Caridade. E sabem quais são as suas rodas dentadas? Nós!, que não somos pedaços de metal que enferruja, a não ser que estejamos infectados pelo ócio paralisante.

Aí está  a função precípua: instruir-se, educar-se, reeducar-se, para com eficiência instruir, educar e reeducar.

Eis que a Educação, quando acertada, liberta. E, com a Espiritualidade Ecumênica, sublima.

REPERCUSSÃO

Na quarta-feira, 13/7, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) completou 21 anos. Um marco que valoriza as últimas conquistas da sociedade e do governo em favor da infância e da juventude, independentemente de etnia, crença ou classe social, a fim de lhes garantir o acesso à escola, à saúde, além de mecanismos de proteção e respeito.

Por sinal, a LBV, desde os seus primórdios, trabalha para proporcionar às crianças condições de que exerçam, em plenitude, seus direitos de cidadania. Esse esforço de Boa Vontade, fundamentado na Pedagogia do Afeto e na Pedagogia do Cidadão Ecumênico, ultrapassou fronteiras e vem recebendo reconhecimento internacional. É o que se observou na recente participação da LBV no evento da ONU, em Genebra. A sra. Anke Bruns, representante da S.E.R. Foundation da Suíça, destacou: “Muito se falou sobre qualidade na Educação ao longo desses dias, mas foi a LBV quem trouxe a resposta do que é qualidade na Educação”. Opinião compartilhada pelo embaixador do Chile, Pedro Oyarce Yuraszeck, que disse: “Tudo que ouvimos aqui já era do nosso conhecimento, mas o que vocês da LBV trouxeram é a novidade que temos de implantar: os valores na questão da Educação”.

Testemunhos como esses e a consolidação do ECA demonstram o avanço social de nosso país na melhoria das condições de vida das novas gerações.

José  de Paiva Netto é jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Destaco de meu editorial da revista Boa Vontade Educação, especialmente publicada para o Encontro de Alto Nível do Conselho Econômico e Social (Ecosoc), da ONU, no Palais des Nations, ocorrido em Genebra, Suíça, na semana passada:

Educação, tema sempre em pauta. Urge ser difundido e encarado, por todos nós, como a trilha segura que encurta a distância social entre as classes. É  também eficiente antídoto contra a violência, a criminalidade, as doenças e tudo o mais que dificulta o crescimento salutar de um povo.

Atendendo à  solicitação de amigos, apresento trechos da conferência que proferi em 9 de março de 2010, no Rio de Janeiro/RJ, com a participação, via internet, de várias localidades do Brasil e do exterior. Entre os assuntos abordados, estava a Pedagogia de Deus, preconizada por Alziro Zarur (1914-1979), que, ao longo do tempo, fizemos desdobrar-se na tese socioeducacional da Legião da Boa Vontade voltada a aliar o desenvolvimento cognitivo do educando à cultura do respeito plural; por isso, sempre com Espiritualidade Ecumênica, sobre o que lhes tenho sobejamente falado. Daí surgiram respectivamente a Pedagogia do Afeto, para as crianças, e a do Cidadão Ecumênico, para jovens e adultos.

Discorrendo, de improviso, sobre a matéria, afirmei que não basta instruir-se das coisas humanamente racionais. Conforme ressaltei em fevereiro de 1984, dirigindo-me às mulheres envolvidas nas ações da LBV, e posteriormente em artigo na “Folha de S.Paulo”, em 27 de julho de 1986: A instrução, para nós, é aquela que se aprende na escola, no colégio, na universidade, o que mais o seja, e que deve ser associada ao lar, em forma de Educação. Essa aliança é imprescindível. Sem Instrução e Educação não há progresso. Todavia, instruir e educar não é somente ensinar a ler, a mergulhar nos livros. Trata-se, acima de tudo, de iluminar a inteligência para as funções harmônicas do Ser Humano na sociedade. Aliás, esta e o governo devem permanentemente unir-se para estabelecer a estrutura que, de fato, forme uma pátria melhor e um mundo mais feliz. Quanto pior o ensino, pior o futuro. Portanto, ensinar não é apenas transmitir o bê-á-bá da ciência terrena, mesmo que seja a mais elevada Matemática, a Física, a Química, a Astronomia etc. Porque, se não houver o bom alimento para a Alma — iluminada pela espiritualização, que significa mais que educar, e sim reeducar —, esse aprendizado ultrainstrutivo levará o Ser Humano, sem tal boa nutrição, a conduzir o pensamento para atos cada vez mais destruidores. Educar é transformar, reeducar, sob os auspícios da Paz, do Amor e da Justiça, bafejada pela Bondade, e, assim, sublimar o caráter.

Sem Instrução e, sobretudo, Educação não existe o amanhã. Lembram-se do Plano Marshall, para a Europa, de que já lhes falei tantas vezes? Destaque para a Alemanha, no Ocidente, e para o Japão, na Ásia, com MacArthur (1880-1964), que se reergueram pujantemente. No entanto, a produção desses dois países, e de muitos mais, iria à bancarrota naquele período e em qualquer outro se não fosse preparada a geração em que o ensino tivesse profundidade, que serviria de base às demais.

(Continua)

  • 0 Comentários

Continuo recebendo correspondência referente ao meu artigo “Quer saber o que é amizade?”. De São José dos Campos/SP, chegou este e-mail da leitora Sônia Clariano: “Sempre acompanho suas colunas. Emocionei-me com o texto ‘Quer saber o que é amizade?’. A atitude dos meninos [de Governador Valadares/MG] em solidariedade ao amigo foi marcante, acolhedora e uma prova de companheirismo, de altruísmo, em um momento desafiador na vida do jovem Arthur. Lê-lo transformou o meu dia para melhor”. Grato, Sônia.

Quem já não sentiu uma sensação de bem-estar ao ajudar o semelhante, seja por meio de uma palavra de incentivo ou da ação incisiva de amparo e socorro? Pois bem, esse sentimento prazeroso foi objeto de estudo liderado pelo neurocientista brasileiro Jorge Moll Neto, MD e Ph.D., pesquisador do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos. Ele também é coordenador do Centro de Neurociência da Unidade de Neurociência Cognitiva da Rede Labs D’Or (Rio de Janeiro/RJ). O trabalho foi publicado na revista científica PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America).

O site da Academia Brasileira de Ciências traz esta conclusão do dr. Moll Neto: “Hoje sabemos que as boas ações estão relacionadas a um bem-estar mais prolongado do que as conquistas particulares, que têm um efeito momentâneo. Nós acreditamos que essa descoberta pode ter uma aplicação muito grande em termos de qualidade de vida e altruísmo”.

O mundo precisa de compaixão

Pesquisas dessa importância trazem significativa lição, não somente por sabermos do sentimento benéfico que nos alcança, mas pelo que isso pode representar de efetivo e concreto na melhoria da sociedade. No meu ensaio literário “O Capital de Deus” (Editora Elevação), assevero: O que alguns até agora não compreendem é que Caridade é sinônimo de Amor, e, por isso, a menosprezam, como se pudessem viver sem ela. E quem pode viver sem Amor? A pessoa que disser que não quer ser amada é mentirosa ou se encontra enferma, o que para mim é o mesmo. Quem mente não tem saúde boa. Porém, no Novo Mandamento de Jesus, “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho segundo João, 13: 34 e 35), o Ser Humano ama ao Ser Humano com o Amor que o Pai Celestial moldou como realidade divina, para que cada um de nós o siga.

Esse sentimento elevado constitui expressão sublimada de solidariedade, fraternidade, compaixão. (...) E tudo isso significa instinto de sobrevivência, pois se trata do respeito que todo cidadão deve ter para com os demais.

José  de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 2 Comentários

Estamos na semana em que se comemora "Corpus Christi".

Achei, nos meus alfarrábios, texto que publiquei, em 1986, na "Gazeta de Notícias", do Rio de Janeiro/RJ, no qual me pergunto: Quantos já alcançaram que um pensador libertário como Jesus não pode ficar aprisionado entre quatro paredes de um templo ou ter sua mensagem reduzida por analistas que, por mais veneráveis que sejam, por vezes, confundem "germano com gênero humano?".

Os religiosos iluminados pelo espírito de concórdia e os cultores do pensamento sem algemas, enfim, os homens de mente aberta, crentes e ateus, pressentem isto sem dificuldade. Desejam ver a excelente influência altruística do Cristo clarear todos os setores da sociedade. Não podem abrir mão de tão extraordinária e sublime competência.

Jesus foi cientista, quando, por ordem do Senhor do Universo, ergueu este planeta que habitamos; economista, quando multiplicou pães e peixes e não deixou perder o que sobejou; filósofo, quando desenvolveu Sua divina doutrina; psicólogo, quando a adequou ao conhecimento das massas populares; pedagogo, quando a ensinou por parábolas; religioso, quando, convivendo com o povo e pregando aos sacerdotes no templo desde os 12 anos de idade, lhes transmitiu normas de conduzir suas existências no mundo, de maneira a merecerem a vida eterna; incentivador do progresso do ser humano pelo esforço próprio, quando advertiu que a cada um será dado de acordo com as suas obras: o Cristianismo não é escola de ociosidade; legislador e político, quando expôs, por intermédio de João Evangelista, que Deus é Amor e que, por isso, todos precisam cumprir a lei de solidariedade humana e social, amando-se uns aos outros tanto quanto Ele mesmo nos amou: "Não há maior Amor do que doar a própria vida pelos seus amigos" (Evangelho segundo João, 15:13). Com isso, convocou o mundo à maior das reformas, que deve preceder a todas as outras, a do ser humano, pelo conhecimento dos seus valores espirituais: "Buscai primeiramente o Reino de Deus e Sua Justiça, e todas as coisas materiais vos serão acrescentadas" (Evangelho consoante Mateus, 6:33), postulado de Jesus para a formação da economia da solidariedade humana, componente básico da estratégia da sobrevivência, que propomos para que haja uma sociedade solidária, altruística, ecumênica.

Eis aí. O ecumenismo é porta aberta à Paz. Tudo isso pode parecer utopia num orbe saturado de ódios e contendas de todos os matizes. Entretanto, a Humanidade, sabendo ou não, anseia clima espiritual e social menos poluído. Tendo alcançado o conhecimento superior a respeito do que fazem neste burgo planetário e cientes de que sua vida prosseguirá após a morte, a mulher e o homem, mais dia, menos dia, saberão valer-se de todas as riquezas da Terra, sem delas tornarem-se escravos.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Recebi do amigo jornalista Luiz Carlos Lourenço uma comovida correspondência. Trata-se de diretriz para aqueles que acreditam no espírito altruístico e querem um Brasil melhor e uma Humanidade mais fraterna.

“Meu caro Paiva Netto, numa época em que só se fala em violência nas escolas, como a triste e repercutida notícia dos acontecimentos em Realengo, no Rio de Janeiro, de agressão a alunos, maus exemplos etc., confesso ao amigo e irmão que meus olhos ficaram cheios de lágrimas, ao ler o noticiário sobre a atitude dos estudantes mineiros que rasparam o cabelo em solidariedade ao colega com câncer.

“Pensei de imediato com meus botões, ‘é uma notícia que pode servir de pauta para meu querido Irmão Paiva repercutir o assunto por este mundo afora em suas crônicas e comentários, sempre inspirado no Mestre Jesus’.

"Saúde e força sempre. Viva Jesus! Abraça-o seu amigo Luiz Carlos Lourenço."

Em seguida, endereçou-me dados colhidos na Agência Estado, de 3/6: "Em um gesto coletivo de apoio a um colega que faz tratamento contra um câncer, estudantes do ensino médio de uma escola de Governador Valadares/MG decidiram raspar o cabelo. Arthur Gonçalves, de 17 anos, foi surpreendido ao chegar para a aula no Colégio Genoma, onde cursa o terceiro ano. Ao entrar na sala, se deparou com todos os alunos do sexo masculino, bem como o professor, com os cabelos raspados.

"Gonçalves estava em Belo Horizonte, onde se submeteu às primeiras sessões de quimioterapia, que levaram à perda do cabelo. Um amigo de infância, Lucas Avelino, aproveitou sua ausência e mobilizou os colegas para o gesto solidário.

"‘Fiquei até sem palavras’, comentou o adolescente sobre a homenagem, que ganhou destaque na cidade". (...)

Os moços registraram tudo em vídeo e postaram na internet com o título "Quer saber o que é a amizade?". Num gesto de firme confiança na vida, o jovem "pretende prestar vestibular para Engenharia na UFMG".

Prezado Lourenço, grato pela lembrança desse belo testemunho de solidariedade que merece realmente divulgação. Desse modo, seguimos também a recomendação de Jesus, o Cristo Ecumênico: "Assim brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos Céus" (Evangelho segundo Mateus, 5:16).

Ao jovem Arthur, os nossos votos de breve restabelecimento. Aos seus colegas e professor, os parabéns pelo ato de companheirismo.

A todos, uma homenagem com trecho do famoso "Poema da Amizade", de Alziro Zarur (1914-1979):

"Eu tenho, neste espírito de velho/ Que não compreende a vida em solidão,/ Meu particularíssimo Evangelho:/ Amizade é a minha religião.

“Nem só de feras se compõe o mundo,/ Como proclamam todos os egoístas:/ Basta verificar o amor profundo/ Que transborda nas almas dos altruístas. (...)”

José  de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Dedico aos que se amam – e os enamorados pela vida também estão incluídos – trecho de uma prece ecumênica que proferi, de improviso, na Super Rede Boa Vontade de Rádio*:

Ó Jesus, cuja misericórdia nos sustenta, hoje o nosso pedido é em favor daqueles que se amam, se unem, se casam, que pela força do Amor enfrentam as dificuldades do caminho, criam seus filhos – se os têm – e avançam na direção de Deus, o Amor Supremo que liga realmente os corações dos que se amam.

Amor é medicina para a Alma. É o segredo do sucesso permanente. Amor, ensinamento do Cristo Ecumênico, é, nesta definição do Apóstolo Pedro (I-4:8), o poder que "cobre uma multidão de pecados", isto é, quem age em função dele transforma seus erros e os dos demais em semente para tempos melhores; constrói a segurança que o mundo, por desfazer do Amor, não consegue realizar ainda. O segredo está em saber amar na medida deixada por Ti, Jesus, para todos os povos, porque o Amor derruba as fronteiras. É a maior força da Vida. É o que sustenta todas as obras de Boa Vontade. Que nos impede de claudicar. Que nos alimenta e nos dá força, afastando de nós as carências.

É ele, o Amor, que vibra nas nossas almas, que mantém juntos os que realmente se respeitam. Por isso, se amam, e amam-se porque se respeitam. Para todos esses, sem exceção, o nosso pedido a Deus, ao Cristo e ao Espírito Santo para que se realizem no Amor eternamente.

* Super Rede Boa Vontade de Rádio — Trata-se da rede radiofônica criada por Paiva Netto, que hoje conta com emissoras interligadas via satélite e conectadas permanentemente à internet (www.boavontade.com).

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

  • 0 Comentários

Em 19 de agosto de 1982, ante as estatísticas da guerra no Oriente Médio, a Assembleia-Geral das Nações Unidas, numa sessão extraordinária de emergência, estabeleceu 4 de junho Dia Internacional das Crianças Vítimas de Agressão.

O Brasil não vivencia propriamente guerras convencionais, mas a violência contra os pequeninos se faz presente no descaso, na exploração, incluída a abominável sexual, na omissão de famílias ou da sociedade. Em artigo publicado na revista “Boa Vontade”, edição no 229, o sociólogo e vereador de São Paulo/SP Floriano Pesaro chama-nos a atenção, por exemplo, para a triste realidade do trabalho infantil. Trago-lhes aqui um trecho:

“O aumento do número de crianças de rua está intimamente relacionado com a pobreza nos centros urbanos. (...) Filhos desse ‘bolsão metropolitano de pobreza’, as crianças que vemos pedindo esmola, fazendo malabares e vendendo balas nos faróis migram para as regiões centrais de São Paulo a fim de trabalhar. Longe de casa e dos bancos escolares, estão expostas à violência moral, física e sexual. Na maioria das vezes, o dinheiro arrecadado não fica com elas, tampouco com as suas famílias. Estimativas revelam que dois terços do que uma criança ganha em um farol (em média, 30 reais por dia) vão parar nas mãos de um aliciador. (...)

“Urge trabalharmos em rede, com sinergia e sincronismo, estabelecendo papéis e diretrizes claras e compromissos concretos para a erradicação definitiva do trabalho infantil, bem como evitar sobreposições de tarefas e desperdício de recursos”.


Atuar incansavelmente pelo bem-estar das famílias, em especial de crianças e adolescentes em risco de vulnerabilidade social, é uma das principais atribuições da Legião da Boa Vontade, há mais de seis décadas. O esclarecimento das massas, pelo prisma da Espiritualidade Ecumênica, é outra relevante missão sua. É essencial reconhecermos que, acima de tudo, temos deveres espirituais. Assim, os direitos humanos serão respeitados em sua integridade.

MEIO AMBIENTE E ECOLOGIA

Em 5 de junho, comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente e Ecologia. Apesar das resistências, de uns tempos para cá cresce no mundo a preocupação ecológica.

Vale ressaltar, contudo, como já me expressei na “Folha de S.Paulo”, em 10 de dezembro de 1989, que o Ser Humano e seu Espírito Eterno não são criações à parte da Natureza, mas os maiores expoentes. A riqueza deste orbe é a sua Humanidade, visível e invisível, ecologicamente conciliada com a fauna, flora e todo o meio ambiente.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Em 20 de julho de 2010, o Brasil deu expressivo passo na área dos direitos dos cidadãos negros. O Estatuto da Igualdade Racial foi sancionado pela Presidência da República.

Na semana passada, com muita satisfação, recebi um exemplar do Estatuto com a seguinte dedicatória do ex-ministro da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR e atual presidente da Fundação Cultural Palmares – FCP, dr. Eloi Ferreira de Araujo: “Ilustre dr. Paiva Netto, um texto que vai ao encontro das causas da LBV e de todos os brasileiros. Um afetuoso abraço, Eloi Ferreira. 19/5/2011”.

Só  existe uma raça, a raça universal dos filhos de Deus.

HOMENAGEM À IRMàDULCE

No domingo, Irmã Dulce (1914-1992), uma grande amiga, já elevada à condição de Bem-Aventurada Dulce dos Pobres pelo papa Bento XVI, foi beatificada pela Igreja Católica em Salvador/BA. A bela cerimônia, presidida pelo representante do papa, o arcebispo emérito de Salvador, cardeal dom Geraldo Majella, contou com a presença da presidenta Dilma Rousseff.

Em 1997, tivemos ensejo de homenagear a querida Irmã Dulce, concedendo à Associação Obras Sociais, que leva seu nome, a Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica, do ParlaMundi da LBV, na categoria Solidariedade. A distinção foi entregue nas mãos da também muito saudosa dona Dulcinha (1915-2006), a amável irmã daquela que é o Anjo Bom da Bahia. Na ocasião, dona Dulcinha foi muito gentil em suas palavras: “A LBV fez uma coisa muito bonita. Não se esqueceu da Irmã Dulce. As obras dela estão sendo lembradas. E a LBV sempre foi uma grande amiga nossa, nas horas mais difíceis. Quando a Irmã Dulce estava doente, eu contei com vocês, sempre nos dando uma palavra de conforto e alegria. Parabéns! A noite foi linda! Foi uma beleza esta comemoração”.

Onde elas estiverem, pois os mortos não morrem, recebam a saudação de Paz da LBV.

SOLIDARIEDADE

O Templo da Boa Vontade, nas suas orações de hora em hora, solidariza-se com os familiares daqueles que faleceram no trágico naufrágio ocorrido no domingo, 22/5, no Lago Paranoá, em Brasília. Noventa e quatro pessoas foram resgatadas com vida.

Os dramas por todo o mundo prosseguem batendo à porta dos corações. Elevemos agora mesmo nosso pensamento ao Criador em busca de renovadas forças. Orar funciona. Não desprezemos esse poder.

Ó Deus, sois a misericórdia dos que padecem, providência dos sofredores e aflitos!

Ó Sublime Educador, Mestre da Serenidade Infinita, Prodigalizador da generosidade, Potência Divina de nossa Fé!

Pai clemente! Para todo o sempre, depositamos em Vossas mãos a certeza de uma existência melhor.

Em Vós confiamos!

 


José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.brwww.boavontade.com

  • 0 Comentários

Soluções em Informática!