MÉDICOS EFETIVOS DO TRAUMA TAMBÉM PARAM

Após notificarem a direção do Hospital de Trauma da capital, ao secretário de Saúde estadual, um prazo de 72 horas, para equipararem o valor do plantão médico dos efetivos em um mil reais, os médicos efetivos do Trauma, decidiram paralizar os trabalhos por tempo indeterminado.greve_medicos
Os médicos do quadro de pessoal pretendem equiparação com os médicos sem vínculo e integrantes de Cooperativas médicas.
De outro lado, o Governador do Estado, Ricardo Coutinho, engrossou mais a situação, ao dar ordem expressa publicada em boletim da Polícia Militar do Estado, para os militares-médicos lotados no Hospital Edson Ramalho, também passem a trabalhar no Trauma.
A medida foi não foi bem recebida pelos médicos que resumem em "trocar seis por meia dúzia", já que transferidos do Edson Ramalho para o Trauma, a situação não ficará resolvida e o caos atingiria em cheio o hospital da Polícia Militar da Paraíba.
O comandante geral da PM, coronel PM Euler de Assis Chaves divulgou à imprensa local, que a ordem do governador RC é para ser cumprida a todo custo, pois o militar tem que se submeter às ordens superiores.
A conclusão da maioria do povo paraibano é que o caos na saúde pública na Paraíba vai continuar gravíssima e sem uma solução a curto prazo.

Última atualização (Sex, 17 de Junho de 2011 11:55)