Diogo Nogueira e Beto Brito abrem o último fim de semana do Extremo Cultural

O samba e o cordel invadirão o último final de semana do “Extremo Cultural – Onde o Som Toca Primeiro”. O carioca Diogo Nogueira e o paraibano Beto Brito serão as atrações desta sexta-feira (25), a partir das 20h, no Ponto de Cem Réis. Antes, em frente ao palco, se apresenta o grupo de cultura popular Penha Cirandeira.

O projeto é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio de sua Fundação Cultural (Funjope). Pela primeira vez, grupos de cultura popular são incluídos na programação de verão da Capital.

Diogo Nogueira – Principal atração da noite, Diogo Nogueira mostrará ao público pessoense a turnê de seu último projeto “Ao vivo em Cuba”, lançado em CD e DVD no ano passado. Além dos sucessos do cantor, o repertório do show conta ainda com canções de outros artistas como “Que Maravilha” (Toquinho e Jorge Ben Jor), “Madalena” (Ivan Lins e Ronaldo Monteiro) e “Tanta Saudade” (Djavan e Chico Buarque).

Desde o lançamento de seu primeiro álbum, em 2007, o cantor tem aberto caminhos na música popular brasileira e vem representando o Brasil no cenário internacional. O artista é ganhador de um prêmio Grammy Latino de Melhor Álbum de Samba por “Tô fazendo a minha parte” e já vendeu mais de 400 mil cópias, entre CDs e DVDs.

Beto Brito – Nesta sexta (25), Beto Brito abrirá a noite apresentando no repertório canções de sua autoria, a exemplo de “Tá com medo pra que veio?”, “Desligue a TV”, “Zé Limeiriando” e “Zabé”.

Cordelista, cantor e compositor, Beto Brito tem 15 anos de carreira dedicados à cultura popular regional, em suas várias vertentes musicais e literárias. Ao longo de sua carreira, ele já escreveu dezenas  de cordéis, quatro livros didáticos, gravou  seis discos e se apresentou em vários estados do Brasil e países como França, Bélgica e Portugal. 

Penha Cirandeira – Antes das atrações no palco principal, o público que estiver no Ponto de Cem Réis poderá conferir a apresentação do grupo de cultura popular Penha Cirandeira. Um dos ícones mais representativos da cultura popular paraibana, Maria da Penha dos Anjos é natural de Alagoa Grande e conhecedora de muitos cantos tradicionais.

A paraibana possui intimidade com ritmos da ciranda e do coco, além de dominar a arte do improviso. Ela participou, ainda, do filme “Serena Serená: os caminhos do coco de roda e da ciranda na Paraíba”, de Lorena Travassos.

Última atualização (Seg, 28 de Janeiro de 2013 10:00)